Artigos

  • Ex-secretário de Direitos Humanos analisa os resultados das eleições municipais de 2020, fala das dificuldades do PT e dos desafios que a legenda e as esquerdas têm pela frente. “Há imensos desafios para 2022. O PT, como a principal força da esquerda, tem maiores responsabilidades e não vai se omitir. O Brasil precisa de um PT forte, preparado e na linha de frente”, afirma
  • Em artigo, o ex-prefeito e ex-ministro Fernando Haddad comenta os resultados das eleições municipais e defende a história do Partido dos Trabalhadores, apontando que a legenda tem desafios pela frente. “O erro de alguns progressistas não petistas é imaginar que o enfraquecimento do PT vai lhes favorecer. O lugar que o PT ocupa no espectro ideológico não é ideal, mas materialmente construído. Não é um espaço natural à espera de um hóspede, mas um espaço socialmente conquistado”, avalia
  • “A Neoenergia venceu o leilão de privatização da Companhia de Energia de Brasília e vai assumir o controle da estatal. Demissão de funcionários e terceirização dos serviços. O GDF vai embolsar um dinheiro agora e perderá a possibilidade de agir como defensor dos direitos dos brasilienses no tema da energia”, denuncia o deputado distrital Chico Vigilante (DF)
  • Em artigo publicado originalmente no ‘Globo’ o senador do PT da Bahia diz que a decisão do STF sobre a possibilidade de reeleição para as presidências da Câmara e do Senado terá efeitos profundos. “Quem deseja mudar a regra, que tenha a grandeza de trabalhar para a aprovação de uma emenda constitucional, com todas as discussões necessárias. Qualquer outro caminho é um atalho democrático, algo inadmissível”, opina
  • Em artigo, o especialista em segurança pública e ciência da informação, Vladimir de Paula Brito, da UFMG, faz um balanço das eleições municipais de 2020. “É necessário ampliar o espaço de debate para não perder a capacidade de sintetizar as necessidades político-econômicas do conjunto da classe trabalhadora e dos setores médios da população”, escreve
  • Colunista do jornal argentino Página 12, Adrián Paenza faz um emocionado relato de despedida do craque argentino. “Quantas pessoas no mundo são capazes de tocar tantas outras e transformá-las? Quantos podem dizer que cruzaram a vida de tantas pessoas? Eles são poucos, muito poucos. Diego foi sem dúvida um deles”, aponta
  • “Estas eleições servem para apontar para as próximas eleições presidenciais, em que a polarização entre o governo e o PT se projeta como a perspectiva mais provável para a nova disputa presidencial”, analisa o sociólogo Emir Sader
  • Ex-prefeito de Porto Alegre, o petista Raul Pont abre o debate para a construção de uma grande frente partidária das esquerdas brasileiras, a exemplo de outras experiências construídas na América Latina. “Qual o Estado que queremos? Como superar o sistema eleitoral (corruptor, anacrônico e antidemocrático) e o atual bicameralismo (caríssimo, burocratizado, com duplicidade de competências e com proporcionalidade fraudada) que sofremos?”, indaga.
  • Em artigo, presidente da Fundação Perseu Abramo lembra que Fundo foi criado nos governos do PT para financiar, principalmente, a educação no país. “Mais do que um retrocesso brutal, a extinção do Fundo Social do Pré-Sal significa uma agressão contra as gerações futuras”, argumenta Aloizio Mercadante