Posts arquivados em

Luis Arce

  • Os ex-presidentes Lula e Dilma saúdam a vitória do candidato do Movimento ao Socialismo, o partido de Evo Morales. “Que a Bolívia retorne ao caminho do desenvolvimento com inclusão e soberania”, disse o líder brasileiro. “Que a vitória sirva de inspiração aos povos do nosso continente que sofrem sob regimes neoliberais e autoritários”, comentou a ex-mandatária
  • “Conclamamos a comunidade internacional a estar atenta para que as eleições do próximo domingo na Bolívia ocorram de forma transparente e que seus resultados sejam respeitados”, adverte nota assinada por lideranças políticas regionais. Os ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff assinam documento. A presidenta Gleisi Hoffman está em La Paz integrando a delegação do Observatório do Parlasul e representando o Partido dos Trabalhadores
  • Elite  manobra para impedir iminente vitória de Luis Arce, candidato progressista pelo MAS (Movimento ao Socialismo) nas eleições presidenciais do dia 18 de outubro. Atual presidenta interina Jeanine Áñez desiste de concorrer para forçar um segundo turno entre Arce e o ex-presidente Carlos Mesa. Exilado na Argentina desde o golpe de 2019, ex-presidente Evo Morales alerta para risco de novo ataque à democracia e pede respeito às urnas. “A única forma de viabilizar o desenvolvimento e a estabilidade na Bolivia é respeitando as eleições e seus resultados”, advertiu Morales
  • Ex-ministro da Economia de Morales, Luis Arce aparece com 40,3% das intenções de voto, à frente de Carlos Mesa, que tem 26,2%. “Só Luis Arce nos dará a confiança para impedir o suicídio econômico ao qual o governo está nos conduzindo”, celebrou Evo Morales, que foi vítima de um golpe orquestrado pelo secretário-geral da OEA, Luis Almagro, em 2019. Consciente da subserviência de Almagro aos EUA, Morales pediu transparência no pleito de outubro: “quanto mais observadores honestos houver nas eleições, melhor para a democracia”, sugeriu Morales. “Temos plena confiança na ONU e na União Europeia. Não cairemos nas provocações de Almagro”, afirmou o líder progressista