Cantoras Madonna e Cher aderem ao protesto #EleNão

A mobilização que teve início nas redes sociais contra fascismo e contra o candidato do PSL ganhou adesão de artistas nacionais e internacionais

Reprodução

As cantoras internacionais Madonna e Cher aderiram à campanha #EleNão, contra o candidato do PSL, contra a homofobia, o machismo e o fascismo. Ambas publicaram imagens em suas redes sociais com imagens contra a violência e usando a expressão #EleNão.

Em seu Instagram Stories (ferramenta de compartilhamento de imagens que desaparecem em 24 horas), Madonna compartilhou uma foto em que aparece com a boca vedada com uma fita onde está escrito “freedom” (liberdade, em inglês). Ela adicionou as hashtags #EleNão e #EndFacism (fim do fascismo, em tradução literal).

Já a contora Cher replicou uma mensagem em seu Twitter, a pedido dos fãs brasileiros. “Triste que o Brasil está enfrentando o seu próprio Trump. Um candidato homofóbico e racista está liderando as campanhas. Significaria muito se todos nós pudéssemos compartilhar esse #EleNão para apoiar isso”, consta no texto publicado por sua página oficial, que também traduz a hashtag para inglês, #NotHim.

No Brasil, diversas personalidades como Daniela Mercury, Anitta, Letícia Sabatella, Fernanda Lima, entre muitas outras, usaram suas contas no Instagram para divulgar a campanha que vai além de questões políticas: tem a ver com moral, respeito e democracia. A candidata a vice na chapa de Fernando Haddad, Manuela D’Ávila também se manifestou.

Da redação da Agência PT de notícias

Tópicos:

LEIA TAMBÉM:

Depois da eleição, crise bate à porta. Desemprego aumentará e a culpa é de Bolsonaro e Guedes Economia

Mais notícias

PT Cast