Nota: Violência bolsonarista faz mais uma vítima

Gleisi Hoffmann: “O PT está solidário com a família do companheiro Benedito e prestará toda assistência jurídica para que este novo crime do bolsonarismo não fique impune”

Site do PT

Nota condena violência. Imagem: Site do PT

A incitação de Jair Bolsonaro ao ódio e à violência política fez mais uma vítima fatal nesta semana do Sete de Setembro. O companheiro Benedito Cardoso dos Santos, trabalhador do campo e eleitor de Lula, foi assassinado a facadas por um criminoso bolsonarista na zona rural de Confresa em Mato Grosso.

Benedito foi morto porque defendia Lula, da mesma forma que Marcelo Arruda, vítima de um assassino bolsonarista em Foz do Iguaçu. Nas eleições de 2018, bolsonaristas mataram Mestre Moa do Catendê, em Salvador, e o idoso Antônio Carlos Furtado, em Balneário Camboriú (SC); depois dos assassinatos de Marielle e Anderson, por milicianos que se identificam com Bolsonaro e seu governo da morte.

Foram assassinados porque Bolsonaro e seus milicianos não toleram quem pensa diferente, não toleram a liberdade do outro e da outra, não aceitam a democracia. A violência, a tortura, a intimidação e a censura são suas armas contra a verdadeira liberdade. Obedecem ao comando do chefe que, no Sete de Setembro, mandou “extirpar” os adversários.

O PT está solidário com a família do companheiro Benedito e prestará toda assistência jurídica para que este novo crime do bolsonarismo não fique impune.

No dia 2 de outubro, votando em Lula presidente, a sociedade brasileira dará a resposta definitiva à escalada autoritária de Bolsonaro e seus asseclas.

Companheiro Benedito, sempre presente!

Gleisi Hoffmann, presidenta nacional do PT

 

Tópicos:

LEIA TAMBÉM:

Mais notícias

PT Cast