Posts arquivados em

mortes por Covid-19

  • Em entrevista à rádios de Feira de Santana e do interior da Bahia, nesta sexta-feira (31), ex-presidente lamentou a tragédia brasileira: 91.607 mortes e e 2.625.612 casos de Covid-19, segundo consórcio de veículos de imprensa. “A morte não pode doer só quando chega na casa da gente”, afirmou Lula. Ele também criticou a conduta de Jair Bolsonaro diante da pandemia, responsabilizando o líder de extrema direita pela crise: “o presidente da República estimula a anarquia, estimula o desrespeito, estimula a desobediência”, criticou Lula. “Isso poderia ter sido evitado, a gente poderia ter menos mortes, a gente poderia ter mais tranquilidade de enfrentar esse vírus desconhecido”
  • No momento mais agudo da pandemia, presidente Jair Bolsonaro provoca aglomerações e retira máscara, desrespeitando orientações de autoridades de saúde durante viagem ao Piauí e à Bahia. Com recorde de mais de 69 mil novos casos diários de Covid-19, Brasil registra 90.383 mortes e 2.566.765 infecções da doença.”Quando vamos sair do torpor e nos darmos conta da verdadeira dimensão do que acontece no Brasil neste momento?”, indaga o coordenador do Comitê Científico Consórcio do Nordeste, Miguel Nicolelis. Em uma semana, prevê ele, o país deverá chegar a 100 mil mortos, o dobro das vidas perdidas na Guerra do Paraguai, que durou 6 anos
  • Contando com o Caribe, região responde por 4,34 milhões de infectados e ultrapassa América do Norte, que registra 4,23 milhões. Mundo tem 16,5 milhões de casos da doença. O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde OMS), Tedros Adhanom, afirmou que a pandemia do novo coronavírus é a pior emergência global já enfrentada na história da entidade. “Estamos pedindo a todos que tratem as decisões sobre aonde vão, o que fazem e com quem se encontram como decisões de vida ou morte – porque elas o são”, alertou
  • De um total de 15,7 milhões, cerca de 8,4 milhões estão concentrados nas Américas. EUA ultrapassa a marca de 4,1 milhões de infectados e volta a registrar aumento na média de mortes diárias. Ao subestimar valor da ciência, líderes populistas como Trump e Bolsonaro falharam no combate à pandemia, aponta ‘Associated Press’. “Os países que lideram o ranking mundial de mortes por Covid-19 não são os mais pobres, os mais ricos ou até os mais densamente povoados. Mas eles têm uma coisa em comum: são liderados por populistas”, destaca a agência
  • Enquanto país volta a ter alta no registro de mortes diárias – 1.367, entre segunda e terça-feira, o segundo mais alto desde o início da pandemia – TCU confirma omissão da Saúde no repasse de verbas emergenciais para combate à pandemia, denunciada pela ‘Agência PT ‘de Notícias no mês passado. Segundo relatório do TCU, obtido pela ‘Folha’, dos R$ 38,9 bilhões prometidos a estados e municípios, R$ 11,4 bilhões saíram dos cofres públicos até 25 de junho, apenas 29% do total
  • “A imunidade de rebanho só acontece com uma vacina — que não existe — ou quando muita gente adquire naturalmente anticorpos. Se hoje já morreram mais de 76 mil pessoas, seria ético esperar contaminar 60% a 70% da população e deixar morrer quase 1 milhão para então atingir a imunidade de rebanho? É óbvio que não. A ideia de mirar a imunidade de rebanho como uma política de saúde é absurda, mal pensada e antiética”, afirma o epidemiologista Pedro Hallal
  • Mais de quatro meses depois do anúncio primeiro caso de Covid-19, país paga preço alto pela negligência do presidente Jair Bolsonaro, com o registro de 76.688 mil mortos e 2.012.151 contaminados. Fracasso do Brasil na guerra contra a Covid-19 só é comparável ao dos EUA, que já ultrapassou 3,6 milhões de contaminados e 140 mil mortos. Negacionista como o presidente americano, Donald Trump, Bolsonaro previu que o país teria menos de 800 mortos