Edinho: Ameaças não intimidam nosso esforço para salvar vidas

Prefeito de Araraquara/SP registrou boletim de ocorrência contra comerciante que o ameaçou de morte pelas redes sociais

Divulgação

Prefeito Edinho Silva (PT)

O prefeito de Araraquara/SP, Edinho Silva (PT), registrou no domingo (28) um boletim de ocorrência sobre as ameaças de morte feitas contra ele nas redes sociais, em protesto contra as medidas tomadas pela prefeitura para combater a pandemia de Covid-19 no município. A Polícia Civil instaurou um inquérito para investigar o caso.

O responsável pelas ameaças foi reconhecido como sendo o comerciante Deivid Vieira. Em uma publicação feita no sábado (27), Deivid chegou a perguntar o endereço do prefeito Edinho Silva e a frase foi acompanhada de figuras como fogo, caixões, facas e caveira. E ao ser questionado por um usuário se teria coragem para executar esse tipo de violência contra o prefeito, Deivid respondeu: Aqui tem coragem, mas queria só um round com ele primeiro. Depois ia esfaquear de baixo pra cima”.

O comerciante postou as ameaças após o Tribunal de Justiça de São Paulo ter derrubado uma limitar que permitiria a abertura do comércio no sábado. Foi registrado confronto entre a Polícia Militar, a Guarda Civil Municipal (GCM) e alguns comerciantes que insistem em voltar a abrir seus negócios.

O prefeito Edinho Silva afirmou que as ameaças não vão intimidá-lo e que não irão fazer a prefeitura recuar nas políticas públicas implantadas para defender a vida das pessoas e combater a pandemia de Covid-19, que se agravou profundamente na região nas últimas semanas.

“Vamos continuar trabalhando para seguir as orientações dos profissionais da saúde, dos pesquisadores, da ciência. Se nós não temos vacinação em massa, a única forma de nós contermos as contaminações e, consequentemente, a pressão sobre os leitos e em consequência os óbitos, é o isolamento social”, advertiu o prefeito Edinho Silva

Edinho disse ainda que entende “o sofrimento de alguns setores da economia, pequenos e médios empresários, empreendedores e trabalhadores individuais que estão sem apoio e nenhuma linha de crédito, mas que o momento agora é de união com o único objetivo de salvar vidas, já que o Brasil vive a maior tragédia humanitária de sua história”.

Na semana passada, a secretária municipal de Saúde de Araraquara, Eliana Honain, também foi alvo de graves ameaças, com extremistas bolsonaristas incitando agressões físicas e ataques contra ela. Os agressores fizeram ameaças explícitas à vida de Eliana e ainda convocaram pelas redes sociais um bloqueio da rua onde a secretária reside.

Resultados positivos

Araraquara, de 240 mil habitantes, foi a primeira cidade paulista a implantar medidas de restrição à circulação de pessoas, a não ser para atividades de trabalho e de atendimento médico.

Em 21 de fevereiro foram fechados até mesmo serviços essenciais e houve a suspensão do transporte público, já que um dia antes o município atingiu um recorde diários de 248 casos confirmados, o que provocou uma crise hospitalar que beirou ao colapso.

Após 10 dias de lockdown , a cidade registrou uma queda significativa de casos e de mortes pela doença. Depois de 44 dias seguidos, na sexta-feira (26), não foi registrado nenhum óbito em 24 horas.

Da Redação

 

Tópicos:

LEIA TAMBÉM:

Mais notícias

PT Cast