Área PT
Posts arquivados em

Vacina contra Covid-19

  • Em sessão no Senado, ministro da Saúde volta a admitir despreparo ao afirmar que o  governo terá “muita dificuldade de coordenar as ações” no país. Plano de vacinar toda a população até o fim do ano não detalha cronograma nem quais imunizantes serão utilizados. Senador Rogério Carvalho (PT-SE) criticou duramente a morosidade da Saúde no processo.”O risco é, ao demorar ao vacinar, já ter uma cepa não suscetível à vacina”, cobrou o senador. País pode demorar até quatro anos para concluir imunizações, apontam especialistas
  • Em entrevista ao jornalista Kennedy Alencar, do ‘UOL’, ex-prefeito de São Paulo e ex-ministro da Educação responsabilizou o presidente Jair Bolsonaro por pelo menos 150 mil mortes em decorrência da pandemia e pela “situação de caos no país”. Fernando Haddad defendeu ainda a retomada imediata do auxílio e uma campanha nacional de vacinação. “Sem essas duas providências, vamos passar por um semestre muito difícil no Brasil por única responsabilidade do governo federal”
  • Com pandemia em descontrole, governo Bolsonaro tenta desovar 1 milhão de testes que irão vencer em abril. “Que nome a gente dá pra um governo que deixa a Covid-19 se espalhar e o povo morrer e ainda quer empurrar testes que estão para vencer para o Haiti?”, questiona a presidenta do PT, deputada Gleisi Hoffmann. Ministro do TCU aponta “crime de lesa-pátria”. Desgaste aumenta pressão por impeachment
  • “A distribuição equitativa das vacinas COVID-19 pelos países é mais do que um imperativo moral: é a única maneira de resolver a emergência de saúde pública mais urgente de nosso tempo”, afirma secretário-geral Jagan Chapagain. Relatório da organização revela que, desde o início das imunizações, quase 70% das doses foram aplicadas nos 50 países mais ricos do mundo. No fim da fila, Brasil corre risco de ficar sem cobertura vacinal. Pazuello terá de explicar no Senado péssima atuação do governo, que até agora só imunizou 1,44% da população
  • Retirada de exigência da fase 3 de testes no país pela Anvisa, nesta quarta-feira (3), é decisiva para a liberação do uso emergencial da vacina russa. O fim do entrave é uma reivindicação do governador da Bahia, Rui Costa, e de autoridades de saúde. ”É uma vitória importante nesta nossa luta para garantir mais doses para vacinar brasileiros e brasileiras”, comemorou Rui Costa. Sputnik tem eficácia de 91,6% contra o vírus da Covid-19
  • Estudo publicado na prestigiada revista científica ‘Lancet’ confirmou boa resposta imunológica após testes feitos com 20 mil voluntários. Em um cenário incerto para uma cobertura vacinal em massa no país, cresce a pressão para que a Anvisa libere o uso emergencial do imunizante russo. “Alemanha e Inglaterra já estão analisando a vacina Sputnik V. Por aqui, a Anvisa continua com exigências burocráticas, dificultando o processo para aquisição da vacina, enquanto milhares de pessoas morrem diariamente no Brasil” cobra o governador da Bahia, Rui Costa
  • Em resposta ao caos econômico e sanitário causado pelo desgoverno Bolsonaro, Setorial Nacional de Saúde e Comissão Executiva do partido apresentaram conjunto de medidas para enfrentar crise no último dia 22. “O orçamento federal falha na obrigação de manter e ampliar equipes de saúde, abastecer as redes e fortalecer o parque industrial nacional para produção de vacinas em quantidade suficiente para atender toda a população e isola-se no campo internacional no momento em que o mundo se une para sobreviver a pandemia”, aponta nota técnica
  • Em reunião da comissão externa que trata da pandemia do coronavírus na Câmara, o general da reserva Ridauto Fernandes comentou a falta de oxigênio na capital amazonense. “Abre o leito, bota o paciente e ele vai morrer asfixiado no leito. E aí, vai adiantar abrir o leito?”, questionou Fernandes. Mutação do vírus já circula pelo país e preocupa especialistas. País registra terceiro maior dia de óbitos desde o início do surto, com 1.439 mortes
  • “A burocracia não pode ser mais importante que salvar vidas”, cobra o governador da Bahia. Na segunda-feira (25), a Anvisa informou o Supremo Tribunal Federal que não pode liberar o uso emergencial do imunizante russo sem aval técnico do órgão. Argentina, Bolívia, Venezuela, Paraguai e México estão entre os países que assinaram acordo para o uso da Sputnik V.
  • Segundo pesquisa do ‘Datafolha’ divulgada no último fim de semana, o número de pessoas que têm intenção de se vacinar contra a Covid-19 aumentou de 73% em dezembro para 79%. “A população não aguenta mais a política da violência, da mentira e do negacionismo, que tem levado à morte de milhares de pessoas”, afirma o deputado Alexandre Padilha (PT-SP). Campanha esbarra em estratégia bolsonarista de desinformação
  • Ministério da Saúde admite em nota que empresa ofereceu 70 milhões de doses do imunizante americano mas ignorou acordo por considerar cláusulas “abusivas”. Episódio aumenta pressão por impeachment. “Essa nota é pura confissão de culpa, perdemos 70 milhões de doses nessa brincadeira! Criminoso, Bolsonaro estaria no banco dos réus em qualquer lugar do mundo”, reagiu a presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR)
  • Após diagnóstico positivo para Covid-19, em dezembro, ex-presidente Lula e delegação que viajou para Cuba permaneceram em isolamento, respeitando os protocolos do sistema de saúde cubano. “Eu e toda minha equipe somos agradecidos à dedicação dos profissionais de saúde e do sistema de saúde pública cubano que estiveram conosco no cuidado diário”, afirmou o ex-presidente, já curado após cumprir quarentena. “Sentimos na pele a importância de um sistema público de saúde que adota um protocolo unificado, inspirado na ciência e nas diretrizes da OMS. E quero estender as minhas saudações a todos os profissionais de saúde que se esforçam para fazer o mesmo aqui no Brasil, apesar da irresponsabilidade do presidente da República e do ministro da Saúde”, disse o ex-presidente