Área PT
Posts arquivados em

Vacina contra Covid-19

  • Imunizante Soberana 02, produzido pelo Instituto Finlay passa pela fase 2 de testes, com 900 voluntários vacinados em Havana na segunda-feira (18). Países como Vietnã, Irã, Venezuela, Paquistão e Índia já demonstraram interesse na compra da vacina. “Não somos uma empresa multinacional na qual o retorno [financeiro] é a razão número um. Trabalhamos diferente, nossa prioridade é a saúde”, afirma o diretor do instituto, Vicente Vérez
  • Em resposta à liminar apresentada pelo governo da Bahia, que tem pressa na aquisição de 50 milhões de doses da vacina russa contra a Covid-19 para o Consórcio Nordeste, ministro Ricardo Lewandowski dá 72 horas para a agência detalhar relatório sobre imunizante. “É com indignação que assistimos à incapacidade do governo federal de autorizar e comprar outras vacinas contra a Covid-19 como a Sputnik V, que está prestes a ser aprovada também pela agência europeia”, reagiu o governador Rui Costa
  • Com alta de casos e mortes por Covid-19, caos no sistema de saúde segue de Manaus para o resto do Amazonas e a fronteira com o Pará, onde sete pessoas de uma mesma família morreram por falta de oxigênio em apenas um dia. País tem 211.646 óbitos, 63,5 mil novos casos e agora soma 8,5 milhões de infecções. Média móvel de casos subiu 49% em comparação à de duas semanas atrás enquanto a de óbitos cresceu 33%. Pior da pandemia está por vir, alertam especialistas
  • País dispõe de doses para vacinar 4% dos grupos prioritários, com o primeiro lote garantindo a imunização de 2,8 milhões de pessoas. “Infelizmente, como o colapso estarrecedor e sem precedentes ocorrido na cidade de Manaus ilustrou de forma explícita, o Brasil vai precisar de muito mais do que vacinas eficazes e seguras contra a Covid-19 para escapar dos múltiplos colapsos”, alerta o coordenador do Comitê Científico do Consórcio Nordeste, Miguel Nicolelis, que defende a adoção urgente de um ‘lockdown’
  • Governo de Alberto Fernández recebeu, no sábado (16), cerca de 300 mil novas doses do imunizante russo, cuja eficácia é de mais de 90%. Mais de 107,5 mil profissionais de saúde já foram vacinados, tornando a Argentina o país que mais imunizou na América Latina. Governador da Bahia Rui Costa recorre ao STF para garantir a aquisição de 50 milhões de doses ao Consórcio de governadores do Nordeste. Maduro critica “guerra geopolítica” por vacinas e concentração nos países ricos
  • Em entrega simbólica das vacinas em Guarulhos, governadores defenderam aplicação imediata das imunizações, cujo início estava previsto para quarta-feira (20). “É só o começo de uma caminhada que vamos vencer juntos, com a ajuda da ciência e de todos aqueles que lutaram contra a pandemia durante quase um ano no Brasil”, afirmou o governador do Piauí, Wellington Dias. Em nome do Fórum de governadores, Dias cobrou do governo federal um cronograma de vacinação para os próximos meses
  • Órgão decidiu por unanimidade a utilização da Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan, e da AstraZeneca, feita em parceria entre a Universidade de Oxford e a Fiocruz. Petistas comemoram aprovação mas ressaltam que é preciso executar um amplo programa de vacinação nacional. “Precisamos agora, além da aprovação emergencial de outras vacinas, de um plano e uma campanha de vacinação nacional. E o Congresso funcionando pra obrigar o governo a agir”, afirma a presidenta Nacional do PT, Gleisi Hoffmann
  • Cientistas apontam que a CoronaVac, cuja eficácia global contra a Covid-19 é de 50,4%, é segura e defendem ampla imunização por meio do SUS para proteger a população. “Não há justificativa nenhuma para não usar uma vacina que é segura, é eficaz e pode reduzir a gravidade dos casos e mortes”, sustenta a presidenta do Instituto Questão de Ciência, Natália Pasternak. “Não é o grau de eficácia da Coronavac que tem de ser o foco das discussões agora, mas sim o seu alcance”, afirma a presidenta Nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR). “Precisamos de uma grande campanha pública para incentivar a vacinação”
  • Em pronunciamento, ministro da Saúde Eduardo Pazuello não apresentou data para início da vacinação contra a Covid-19 mas disse que estão “asseguradas” 354 milhões de doses. “Desde do final dos anos 70 ministros ocupam a rede nacional para anunciar campanha de vacinação. Hoje, pela primeira vez na história, o anúncio não tem data e nem  local para vacinação”, criticou o ex-ministro da Saúde e deputado federal (SP) Alexandre Padilha. Ele chama a atenção para a falha “original” do plano de Bolsonaro: a falta de compromisso em vacinar toda a população
  • Carta ‘Vacinar no SUS é um direito de todas e todos e um dever do Estado’ foi assinada por 29 instituições da área de saúde, entre elas o Conselho Nacional de Saúde (CNS). “Numa sociedade como a nossa, marcada por grotescas desigualdades sociais, é moralmente inaceitável que a capacidade de pagar seja critério para acesso preferencial à vacinação contra a Covid-19”, aponta a carta. “Bolsonaro atrasa a vacinação, favorecendo a rede privada. Paga com a vida quem não pode pagar pela vacina”, adverte Fernando Haddad
  • Julgamento foi encerrado nesta quinta-feira (17) com dez votos a um a favor da imunização compulsória contra a Covid-19. Maioria seguiu o entendimento do relator Ricardo Lewandowski e autorizou a aplicação de medidas restritivas para quem se recusar a se vacinar. Enquanto isso, Bolsonaro volta a desrespeitar a ciência com campanha antivacina: “Ô imbecil, ô idiota. Eu já tive o vírus e eu já tenho os anticorpos. Para que tomar vacina de novo?”, questionou. O deputado federal Alexandre Padilha reagiu: “Bolsonaro [está] deixando evidente porque inventou o debate sobre obrigatoriedade, é porque não investe para termos vacinas para todos”, criticou.