Área PT

Marília Arraes

Após seu terceiro mandato como vereadora de Recife (PE), Marília Arraes chega à Câmara dos Deputados para reforçar a bancada feminina no Parlamento federal. Segunda candidata mais bem votada em seu estado, ela obteve 193.108 votos. Neta do ex-governador Miguel Arraes, Marília nasceu e cresceu em um ambiente de intensa atividade política. Formou-se em Direito pela Universidade Federal de Pernambuco, onde se engajou no movimento estudantil, debatendo gênero e a pluralidade de direitos. Aos 24 anos, elegeu-se pelo PSB vereadora do Recife com 9.533 votos, sendo a parlamentar mais nova na 15ª legislatura.

Durante o biênio 2009/2010, atuou como presidente da Comissão de Políticas Públicas da Juventude. Em 2011, tornou-se a primeira mulher a presidir a Comissão de Legislação e Justiça. Em 2012, reelegeu-se vereadora com 8.841 votos. Logo após as eleições, assumiu a Secretaria Municipal de Juventude e Qualificação Profissional. Em fevereiro de 2016, oficializou sua desfiliação do PSB. No mesmo ano, foi eleita com 11.872 votos, uma das maiores votações da atual legislatura e uma das mais expressivas entre os parlamentares do PT.

  • “Sou muito grata por todo o apoio, carinho e força que recebi de todo mundo, aqui e nas ruas”, afirmou a candidata do PT à Prefeitura do Recife, Marília Arraes, lembrando os quase 350 mil votos que recebeu dos recifenses. “Nós temos a consciência tranquila de que fizemos uma campanha bonita, limpa”, disse, após o anúncio do resultado. “É importante dizer que desde 2006 nenhuma candidatura do PSB tinha essa dificuldade de ganhar uma eleição. Nós fomos ao segundo turno com praticamente o mesmo percentual de votos e chegamos aqui com uma votação expressiva. Isso mostra a insatisfação das pessoas com a atual gestão”
  • O que tinha ocorrido nas eleições presidenciais de 2018 foi reproduzido em várias capitais e cidades do país nesta reta final nas disputas municipais. Os candidatos da oposição, em particular do PT, foram alvo de mentiras, intrigas e enfrentaram a engrenagem administrativa, que funcionou em favor dos prefeitos que concorriam à reeleição ou estavam com afilhados na corrida eleitoral
  • Na reta final, candidata a prefeita do PT reforça sentimento de renovação na população da capital pernambucana. “O Recife não aguenta mais quatro anos de uma gestão que tem abandonado a nossa cidade”, disse Marília, neste sábado (28). Na sexta (27), ela participou do último debate antes da eleição, transmitido pela TV Globo. Marília apresentou propostas para gerar emprego e renda e reafirmou seu compromisso em devolver a cidade aos recifenses. “Falta só um dia para a gente escrever uma nova história no Recife”, festejou Marília
  • Grupo de 70 juristas de Pernambuco e de outros estados lançaram, na quinta-feira (26), manifesto de repúdio a dezenas de fake news, ataques covardes e mentirosos contra Marília Arraes, candidata a Prefeita do Recife pelo PT. “No início do 2º turno no Recife, após as pesquisas eleitorais apontarem o favoritismo da primeira mulher que pode governar a prefeitura da cidade, a campanha do candidato João Campos passou a praticar o desprezo da ética e o aviltamento da autodeterminação do eleitorado recifense, através de notícias falsas e ataques repugnantes em qualquer processo democrático”, condenam os juristas
  • Segundo revelou reportagem da ‘Folha’, servidores com cargos comissionados recebem, desde o primeiro turno, instruções pelo ‘WhatsApp’ para trabalhar para o candidato do PSB. “As convocações incluem bandeiraços, distribuição de panfletos em semáforos e comunidades e o uso de camisetas amarelas —cor da coligação do PSB”, relata o jornal. Nesta quinta-feira (26), a campanha de Marília Arraes (PT) entrou Justiça com uma ação por crime eleitoral que pode tornar João Campos inelegível
  • Candidata a Prefeita do Recife esteve no bairro do Arruda, na Zona Norte do Recife, nesta quarta-feira (25), para conversar com moradores. Marília Arraes falou sobre a importância dos canais que cortam a cidade, que precisam urgentemente de de revitalização e manutenção. “O Recife é cortado por quase 100 canais, que são importantíssimos para que não haja alagamentos em uma cidade abaixo do nível do mar como a nossa”, afirmou Arraes.