Bolsonaro

  • No país de Bolsonaro e Paulo Guedes, onde a desigualdade está crescendo e a miséria se aprofundou, já são quase 130 mil mortos por Covid, e o desemprego e a precarização do trabalho apavoram quase 62 milhões de pessoas. “A retomada da economia só virá se investirem no povo, que precisa de trabalho e dinheiro no bolso”, diz o ex-presidente. “Este país precisa ter esperança”
  • Em artigo, o ex-prefeito de São Paulo chama Bolsonaro de mentiroso, ao apontar, na ONU, que as queimadas no Brasil são resultado da ação de índios e quilombolas. “Vale notar que as queimadas na Amazônia não raramente aparecem no discurso de Bolsonaro como dupla afirmação nacionalista. Para dentro, perante as ‘nações’ indígenas; para fora, perante as nações soberanas”, destaca
  • Em Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental, a legenda pede ao STF que obrigue o governo a tomar providências pela trágica situação no Pantanal e na Amazônia, que estão ardendo desde agosto, sem que o Planalto mobilize suas forças. “São duas as mãos que acendem o fogo dos biomas brasileiro”, apontam. “É grave que uma delas seja a do governo federal na medida em que recusa o exercício dos poderes de polícia”, apontam os advogados Eugenio Aragão e Angelo Ferraro
  • Roteiro de fake news apresentado por líder de extrema direita na abertura da Assembleia Geral das Nações Unidas repercute negativamente no país e na imprensa internacional. Contradições e inverdades sobre meio ambiente e crise sanitária foram apontadas por veículos como ‘CNN’, ‘Guardian’, ‘Bloomberg’ e ‘Reuters’. Segundo a ‘CNN’, o presidente tratou a pandemia e o aquecimento global com a mesma resposta: “negação, acusações e gestos ineficazes”. Para o ‘Guardian’, Bolsonaro e Donald Trump usaram seus espaços na Assembleia da ONU “para desviar a atenção de sua resposta à pandemia”. No Brasil, organizações da sociedade cvil também repudiaram discurso de Bolsonaro
  • Desde maio, o desemprego aumentou em 27%, totalizando 12,9 milhões de brasileiros, 2,9 milhões a mais do que o registrado em maio. Ao mesmo tempo, 107 milhões de lares serão atingidos com a redução pela metade do auxílio emergencial a partir deste mês. A falência de cerca de 700 mil pequenos negócios até junho se junta ao cenário do desastre econômico e social. Além disso, o teto de gastos impede o investimento público. Para enfrentar a situação, PT apresentou o Plano de Reconstrução e Transformação do Brasil