Nota oficial sobre a agressão física sofrida por Gil Santos

Gleisi Hoffmann, Bruno Elias e Carlos Alves assinam nota criticando a agressão de seguranças contra o companheiro Gil Santos

O Partido dos Trabalhadores, em conjunto com os Setoriais Nacional e Estadual LGBT, repudia com veemência a agressão física sofrida pelo companheiro Gil Santos, militante destes setoriais, membro do Conselho Nacional de Combate à Discriminação de LGBT (CNCD-LGBT) e membro da CMP, ocorrida no início da Parada realizada no domingo, 18 de junho.

Segundo Gil Santos, ele foi agredido por seguranças que trabalhavam como cordeiros no Primeiro Trio na Parada. É inadmissível que em plena Parada do Orgulho LGBT, esta mesma população seja vítima de violência.

De acordo com a vítima, ao solicitar o apoio da Coordenação LGBT da Prefeitura de São Paulo, o representante se negou a dar assistência e apurar o fato, o que demonstra uma absurda omissão por parte do poder público.

A direção nacional e os setoriais nacional e estadual LGBT do PT acompanham o fato e esperam uma resposta urgente da Associação da Parada LGBT-SP e da Coordenação LGBT do município de São Paulo a mais esse ato de desrespeito e violência contra um representante da população LGBT.

Gleisi Hoffmann
Presidenta do PT

Bruno Elias
Secretário Nacional de Movimentos Populares do PT

Carlos Alves
Coordenador do Setorial Nacional LGBT/PT

Tópicos:

LEIA TAMBÉM:

Mais notícias

PT Cast