Área PT

Saúde

  • Especialistas alertam que número de mortes – média entre 800 e 900 por dia – é alto e indica que não é momento para afrouxar medidas de controle do surto. No final de semana, capitais voltaram a ter aglomerações, com praias, bares e parques lotados. Consórcio de veículos de imprensa contabiliza 131.736 óbitos no país e 4,3 milhões de casos da doença. OMS alerta para aumento de mortes na Europa em outubro e novembro
  • Levantamento da União Pró-Vacina, ligada à USP Ribeirão Preto, indica que nota da Secom, que oficializou frase do presidente “ninguém pode obrigar ninguém a tomar vacina” foi replicada nas redes sociais de grupos antivacina, gerando milhares de compartilhamentos. Ao contrário da Secom, que divulgou rapidamente a peça de sabotagem ao combate à pandemia nas redes do governo, a página do Ministério da Saúde no Facebook, dedicada a informar a população sobre a importância das vacinas, não divulga qualquer conteúdo desde o início de junho
  • De acordo com o governo, o protocolo da vacina será submetido ao Conselho Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) e à Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) para que os testes sejam autorizados. Feita a aprovação, o memorando estabelece que a Bahia seja responsável pela comercialização da vacina no país. “A vacina [russa] segue a linha mais tradicional, mais antiga do mundo, de produção de vacina. O que torna o processo talvez mais seguro e talvez a taxa de acerto dessa vacina vai ser maior, porque não tem inovação, é a prática mais antiga, mais consolidada”, afirmou o governador Rui Costa
  • Reportagem do ‘Estado de S. Paulo’ revela que pasta da Saúde mantém desde julho os mesmos quase 10 milhões de testes “padrão ouro” para diagnóstico de Covid-19 parados por falta de insumos. Enquanto isso, negócios com hidroxicloroquina seguem em alta no ministério, que quintuplicou o envio da droga para unidades do SUS entre março e julho. Diretor de emergências da OMS alerta sobre campanha de desinformação de Bolsonaro
  • Na quinta-feira (3), o Conselho Nacional de Saúde (CNS), publicou uma recomendação para que seja retirada imediatamente qualquer material de comunicação oficial do governo que faça “alusão à não obrigatoriedade de vacinação contra a Covid-19”. A nota técnica também afirma que o Ministério da Saúde deve, ao contrário, engajar-se em campanhas de conscientização “sobre a importância da vacinação como forma de reduzir a mortalidade de doenças imunopreveníveis”. Revista científica ‘Lancet’ aponta resultados promissores de testes com vacina russa
  • “A perda prevista para 2021 deve interferir de forma drástica em inúmeras ações do Sistema Único de Saúde, visto que haverá demanda reprimida diante da pandemia, além da ausência de recursos para manutenção do legado adquirido”, alerta a Comissão de Orçamento e Financiamento (Cofin) do Conselho Nacional de Saúde (CNS). Propaganda enganosa do Ministério da Saúde omite baixa execução orçamentária de recursos emergenciais para o combate à pandemia. Há recursos não empenhados desde abril
  • PT, PSOL, PSB, PcdoB e PDT protocolaram pedido de liminar junto ao STF para suspender efeitos da Portaria 2.282, de 27 de agosto de 2020, do Ministério da Saúde. Pela portaria, médicos e profissionais de saúde são obrigados a informar a autoridade policial o atendimento de pacientes vítimas de estupro. “A medida além de dificultar a denúncia de violência e a busca dos serviços médico-hospitalar, também causa profundo constrangimento e revitimização para as meninas e mulheres sobreviventes de violência sexual”, denuncia a Secretaria Nacional de Mulheres do PT
  • “Quando o interesse público, coletivo, está em jogo, a liberdade individual perde o sentido”, defende o senador e ex-ministro da Saúde, Humberto Costa (PT-PE). “Nenhum direito fundamental é absoluto, ou seja, o direito à liberdade não é absoluto a ponto de estar acima do direito à saúde das outras pessoas”, afirma a professora de direito constitucional Estefânia Barbosa da UFPR. Campanha contra vacinação fere artigo 196 da Constituição Federal, que determina que saúde é um direito de todos e um dever do Estado
  • No fim de semana, praias do Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina e Salvador receberam multidões, que não hesitaram em desobedecer as regras de isolamento social e o uso de máscaras. Brasil ultrapassou a marca de 120 mil mortos e chega cada vez mais perto de registrar 4 milhões de casos de Covid-19. “A banalização da tragédia é comum no Brasil. Na Covid-19 isso é muito perigoso, porque o número de óbitos pode aumentar de forma trágica”, alerta Alexandre Naime, consultor da Sociedade Brasileira de Infectologia
  • Indústria subterrânea de mentiras que elegeu Bolsonaro e Trump agora prejudica estratégias de combate a pandemia ao confundir população com notícias falsas. Levantamento do UPVacina, da USP Ribeirão Preto, detectou, entre maio e julho, crescimento de 383% de postagens com informações inverídicas sobre a vacina contra o coronavírus no Facebook. Do total, apenas 11% foram marcadas pela rede social como conteúdo falso. “A preocupação é que o efeito da ação desse mecanismo coloque em risco futuras campanhas de vacinação contra a covid-19 e até mesmo a confiança geral nas vacinas”, alerta João Henrique Rafael Junior