Posts arquivados em

Bolsonaro genocida

  • Ministério da Saúde admite em nota que empresa ofereceu 70 milhões de doses do imunizante americano mas ignorou acordo por considerar cláusulas “abusivas”. Episódio aumenta pressão por impeachment. “Essa nota é pura confissão de culpa, perdemos 70 milhões de doses nessa brincadeira! Criminoso, Bolsonaro estaria no banco dos réus em qualquer lugar do mundo”, reagiu a presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR)
  • Reportagem exclusiva detalha o levantamento ‘Direitos na Pandemia – Mapeamento e Análise das Normas Jurídicas de Resposta à Covid-19 no Brasil’, da USP, que aponta como o governo agiu de forma sistemática, por meio de medidas como normas e portarias, a favor da disseminação do vírus. “Nossa bancada vai propor convidar os pesquisadores da USP a apresentarem os resultados da pesquisa à Comissão Mista Especial do Congresso sobre a Covid-19”, afirma Gleisi Hoffmann, presidenta do PT. “Essa pesquisa já foi considerada neste último pedido de impeachment apresentado pela oposição”
  • Em artigo para o ‘Poder 360’, José Dirceu alerta para o risco de um agravamento do colapso econômico e sanitário com Bolsonaro na Presidência. “As consequências políticas do desgoverno e da tragédia de Manaus, anunciando o que pode acontecer em todo Brasil, mobiliza e coloca, de novo, na ordem do dia o impeachment”, ressalta Dirceu. “Mas o que contará é a mobilização popular, as ruas”, conclama
  • Reportagem da ‘Agência Pública’ publicada nesta segunda-feira (18) revela que um relatório do Ministério da Saúde de 4 de janeiro apontava “possibilidade iminente de colapso” do sistema de saúde em Manaus. “O diagnóstico foi a principal conclusão de uma comitiva do Ministério da Saúde que visitou a capital do Amazonas mais de uma semana antes do colapso no sistema de saúde local”, diz a Pública, que destacou a reportagem em manchete. ”Exatos 10 dias depois, hospitais de Manaus esgotaram suas reservas de oxigênio com pacientes morrendo por asfixia”
  • “O sufocamento das pessoas que lutam e lutaram por suas vidas não tem sido suficiente para que as autoridades responsáveis assumam o seu papel”, adverte o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (CONIC), em nota. Para a entidade, cada anúncio inconsistente realizado na televisão e nas mídias sociais representa escárnio e desrespeito com a vida da população brasileira. “Que neste domingo, e ao longo do mês de janeiro, possamos orar por todas as famílias enlutadas”, convocam as igrejas cristãs do país
  • Mobilização nacional, envolvendo governadores, prefeitos, parlamentares, entidades de saúde e demais setores da sociedade civil, age para evitar um agravamento do caos sanitário em Manaus (AM), onde pacientes estão morrendo por falta de oxigênio. Crescem pressões para aprovação do impeachment de Bolsonaro
  • Agências e jornais estrangeiros apontam negligência do presidente Jair Bolsonaro no enfrentamento da pandemia que já matou mais de 200 mil brasileiros. “Enquanto muitos países impuseram novas restrições para limitar a propagação do vírus em meados de dezembro, o governo do presidente deu sua bênção para a diversão das férias de verão”, relata a ‘Associated Press’. Para a agência francesa ‘AFP’, o ano começou com “uma tempestade de controvérsias sobre falhas no plano de vacinação do governo e a contínua negação da Covid-19 pelo presidente de extrema direita”
  • “Bolsonaro bloqueou tudo o que o Brasil tem para dar resposta adequada à pandemia da Covid-19, como já fizemos inclusive em outra epidemias”, acusou o deputado federal e ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha (SP). “Ele colocou o País em um projeto da morte, sem testes suficientes, sem apoio às equipes de atenção básica de saúde, bloqueou o [programa] Mais Médicos, e estabeleceu uma guerra, um conflito com os estados e municípios, que ajudam o governo federal a coordenar o SUS”, lamentou. De acordo com o consórcio de veículos de imprensa, nesta quinta-feira (7), o país registrou 200.011 mortos e mais de 7,9 milhões de casos da doença
  • Em carta endereçada ao Supremo Tribunal Federal e ao Congresso Nacional, 23 vítimas da tortura na ditadura militar cobram providências das instituições democráticas contra agressão de Jair Bolsonaro. Entre as signatárias, Maria Amélia de Almeida Teles, Eleonora Menicucci, Iara Seixas e Lenira Machado. “Não permitiremos que nosso país mergulhe de novo no fascismo e no obscurantismo”, apontam
  • “É inaceitável um presidente da República debochar de alguém que sofreu tortura, um crime contra a humanidade. A atitude do capitão-presidente não condiz com a democracia e nem com o principal cargo da República. Revelou ser um insano amante das trevas e dos abjetos torturadores dos anos de chumbo que mancharam a história do Brasil entre 1964 e 1985”, afirma nota da Bancada do PT na Câmara
  • Além da União Europeia, levantamento do site ‘Poder 360’ inclui México, Chile e Costa Rica entre os países que começaram a imunizar suas populações. Argentina inicia aplicação da vacina russa Sputnik V nesta terça-feira (29). Após afirmar não “dar bola” para pressão por início da vacinação, Bolsonaro não apresenta plano mas diz que “tem pressa”, ao mesmo tempo em que levanta desconfiança sobre a segurança de vacinas testadas e aprovadas. Pesquisadora da USP critica incompetência do governo e alerta que o país pode ficar sem cobertura caso a chinesa CoronaVac não seja aprovada. “Se a CoronaVac se mostrar ruim, estamos em um mato sem cachorro”, diz Natalia Pasternak