Elas por Elas

Projeto Elas por Elas Mulheres Negras é lançado no RJ

Pré-candidatas petistas do país todo participaram da apresentação da plataforma que investe em formação para ampliar participação feminina na política

Foto: Tayná Pacheco

Lançamento do projeto Elas por Elas Mulheres Negras no RJ

Mulheres negras de todos os estados do país, pré-candidatas pelo PT, participaram no sábado (21) de um momento histórico para o Partido dos Trabalhadores e das Trabalhadoras: o lançamento nacional do projeto Elas por Elas Mulheres Negras. A plataforma faz parte da iniciativa nacional Elas por Elas, que investe em formação e suporte para fortalecer a participação de mulheres na política. 

O Elas por Elas com foco nas pré-candidatas negras é um compromisso assumido pela Secretaria Nacional de Mulheres, junto às setoriais nos estados e em parceria com a Secretaria Nacional de Combate ao Racismo, para ampliar a presença de dessas mulheres nas instâncias de poder e decisão.

Elas representam aproximadamente 25% da população brasileira, mas são sub-representadas em postos legislativos e executivos. Nas eleições de 2014, apenas 10 parlamentares negras foram eleitas, sendo sete pardas e somente três pretas.

“Eu sou mulher negra, mulher brasileira, mulher de luta, mulher de fé.” Foi com música que a deputada federal Benedita da Silva (PT-RJ), iniciou a sua fala. Símbolo de luta e resistência, ela destacou a trajetória das mulheres negras na construção do PT e classificou o encontro como um momento histórico para o partido.

“Sabemos que esse é o momento que temos para articular e fortalecer umas às outras, esse projeto traz o debate interno e externo do machismo e do racismo existente na política. É um momento histórico, pois nunca tivemos um encontro como esse, focado em pré-candidaturas de mulheres negras”, disse.

A deputada também enfatizou a necessária participação das mulheres na luta pela libertação do ex-presidente Lula e pelo direito à sua candidatura à Presidência da República.

“Precisamos colocar os feitos de Lula em nossos espaços, em nossos debates, e dizer que Lula  não pode ficar preso. As mulheres negras não querem Lula preso”, conclamou.

O recorte racial feito pelo projeto, segundo a secretária nacional de Mulheres, Anne Karolyne Moura, é um reconhecimento das especificidades das pré-candidatas negras, que sofrem com uma sobreposição de desigualdades, passando pelo machismo e pelo racismo. Com o projeto, elas terão prioridade durante o processo eleitoral, com suporte político e material para fazerem a disputa.

“Essa segmentação não é para dividir as mulheres, é para mostrar que nós reconhecemos essas especificidades, a dívida histórica que esse país tem com as pessoas negras. Estamos construindo um projeto para mexer com a estrutura da sociedade, para termos mulheres, de fato, ocupando a política”, reforçou Anne.

Rute Sales, Rosália Lemos, Ivonete Carvalho e Denise Pacheco (da esquerda para a direita) participaram da mesa “Empoderamento e feminismo negro nas eleições 2018”

Às vésperas do Dia da Mulher Negra, celebrado em 25 de julho, a secretária estadual de Combate ao Racismo do PT-RS, Ivonete Carvalho, reiterou a importância da luta coletiva para que essas mulheres estejam nos espaços de decisão.

“Não vamos abrir mão de estar no palanque em situação de igualdade, temos de estar de forma protagonizada nesses espaços que nós conquistamos. A unidade, o diálogo e o fortalecimento umas das outras é fundamental neste momento”, completou.

Ivonete participou da mesa “Empoderamento e Feminismo Negro nas Eleições”, que também contou com a participação Denise Pacheco, da Coordenação Nacional de Entidades Negras, e com a pesquisadora doutora em políticas públicas Rosália Lemos. O secretário Nacional de Combate ao Racismo, Martvs das Chagas, e a filósofa Marcia Tiburi também participaram do lançamento do projeto na capital carioca.

A presidenta do PT, senadora Gleisi Hoffmann, enviou, em vídeo, uma saudação às pré-candidatas, na qual ela reiterou a importância da iniciativa para a efetivação da democracia.

“A sociedade só será efetivamente democrática quando tivermos a participação efetiva das mulheres e da igualdade racial nos processos de decisão política”, afirmou.

Neste domingo (22), as atividades do Elas por Elas Mulheres Negras prosseguiram no Rio de Janeiro, com um encontro que abordou as temáticas “financiamento público e as pré-candidaturas negras”, “aspectos jurídicos e eleitorais para as campanhas negras” e “planejamento de pré-campanhas para mulheres negras”.

As pré-candidatas receberam o documento “Enegrecendo 13 pontas feministas”, com eixos temáticos para discussão nas pré-campanhas, a partir do olhar das mulheres negras.

Confira as fotos do lançamento do Elas por Elas Mulheres Negras

Por Geisa Marques, do Rio de Janeiro, para a Comunicação Elas por Elas

Tópicos:

LEIA TAMBÉM:

Mais notícias

PT Cast